setembro 24, 2007

Rio

É um rio que passa
e nos separa.
Sobre a ponte,
caminhamos descalços
ao encontro do nosso amor...
Beijo-te. Beijas-me.
Amas-me. Amas-me...
Sozinhos, com o silêncio abandonado,
sinto-te tão perto de mim quando já estás na outra margem!

- Amanhã, meu amor!
Amanhã, talvez, te possa amar!

5 comentários:

Tiago R Cardoso disse...

Que o rio seja pequeno e a ponte larga, mas acima de tudo que essas margens estejam sempre unidas.

damularussa disse...

Que essas margens se unifiquem..

;)

Miosotis disse...

Grata pela visita.
Excelente poema.
Vou bisbilhotar o resto que andei a perder por aqui.
Beijos...e um miosótis azul.

Carol disse...

Obrigada pelos elogios!

Miosótis: bisbilhota tudo o que quiseres! Estou cá para isso mesmo. Beijinhos.

Sol da meia noite disse...

Nunca deixes que essa ponte caia...

Beijinho!