novembro 01, 2007

Porque Gosto

Gosto do nome que te abraça.
Gosto da cor do teu sorriso.
Gosto da luz que te ilumina os olhos.
Gosto do som da tua voz no silêncio das madrugadas.
Gosto do cheiro dos teus dedos nos meus cabelos.
Gosto do doce toque das tuas mãos nos meus segredos.
Gosto da presença do teu corpo nas minhas noites vazias.
Gosto de ti hoje e para todo o sempre.
Gosto de ti até que o infinito se limite e a eternidade se acabe!

10 comentários:

quintarantino disse...

Eu também gosto de ti e das tuas palavras, irmãzinha!

O Árabe disse...

Belo poema, Carol. A verdade é que gostamos... e pronto. Simples assim! :)

adrianeites disse...

Bom Gosto!

bom fim de semana!

Sol da meia noite disse...

Bonito o teu gostar, Carol.
Gosto desse gostar. Um gostar que tudo alcança...
*

Tiago R Cardoso disse...

E eu gosto da forma como tu escreves.

Fernanda e Poemas disse...

Olá Carol, grata pela visita ao meu cantinho das fotos.
Bom fim de semana, para ti também.
Beijinhos,
Fernandinha

Mestre disse...

E quando se gosta tudo é mais brilhante e mais saboroso...
beijo terno

Miss Vader disse...

Eu cá gosto de gelados do Esquimó.

Carol disse...

Ó Miss Vader, quando quiser repetir a ida aos gelados, é só dizer!

Mestre, bem vindo à minha humilde casa.

Tiago: E eu gosto das tuas visitas e dos teus comentários! Aquela coisa de seres vermelho é que podia mudar, mas ninguém é perfeito!

Quintarantino: Eu também gosto muito de ti e tenho muito orgulho de ser a tua irmãzinha mais nova (e única, por acaso)!

Metamorfose disse...

Gosto, porque gosto e ponto final. Gostei.

Beijos.