janeiro 15, 2008

Ainda

Ainda tenho o teu corpo
na minha memória.
Ainda o teu cheiro
na minha cama.
Ainda o teu rosto
desenhado nas minhas mãos.
Ainda os carinhos
que fizeste no meu corpo.

Ainda te tenho aqui,
mesmo se estás ausente.

21 comentários:

quin[tarantino] disse...

... e se assim é, estou feliz ...

quin[tarantino] disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carol disse...

And so am I,Quin!

Blondewithaphd disse...

So romantic we are...
Hope it keeps that way minus the absence;)

Carol disse...

Blondie: I must confess that, sometimes, absences are nice. You know: we only value what we don´t have...

sniqper ® disse...

Uma pergunta com uma resposta simples, amou-te...

Tiago R. Cardoso disse...

Ainda memoria daquilo que fomos e a esperança daquilo que seremos os dois...

Sol da meia noite disse...

Profundas estas palavras. Reveladoras dum sentir profundo.
O que em nós guardamos, é parte de nós...

Muitos beijinhos

Carol disse...

Tiago/ Sol: É isso mesmo. Aquilo que vivemos e experienciamos acaba por se tornar nosso, embrenhar-se no nosso corpo e na nossa alma. E uma ausência não é um fim...

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá Carol amiga, está lindíssimo!
Beijinhos de carinho e amizade.
Fernandinha

SILÊNCIO CULPADO disse...

Carol
Enquanto assim sentires o céu estará azul e as primaveras estarão coloridas.
Beijinhos

ContorNUS disse...

Gostei de te ler...

voltarei

Anónimo disse...

As coisas que nos fazem felizes trazem-nos infelicidade, mas só quando se vão embora é que nos tornam tristes.
Gostei de te ler.

walter disse...

Feliz do homem que assim é amado.

Carol disse...

Contornus: Espero que cumpras a promessa...

Walter: Será ainda mais feliz se tiver noção disso!

Sei que existes disse...

E é assim, o amor...
Beijo grande

LUIZ SANTILLI JR. disse...

Aos meus vinte anos eu senti isso!

É a mais pura manifestação da paixão!
É a presença permanente da pessoa amada junto a nos, ainda que distante no espaço!
É a presença que se nega a desaparecer, mesmo que ela nem mais exista.

Carol disse...

Sei Que Existes/ Luiz: É o amor na sua plenitude!

vsuzano disse...

dos cheiros tenho eu sempre memória...

O Árabe disse...

Conservam-se as emoções, enquanto se conservam as memórias... :) Bom fim de semana!

Carol Barcellos disse...

Esse poema é demais, Carol! Amo essa palavra ainda, e a forma como vc usou está deveras brilhante.

É irritante como quem a gente ama às vezes não tem noção do que significa pra gente...

Carol, amo esses poemas, não só pq entendo de ausência, mas tb pq vc tem muita sensibilidade e expressa muito bem em poemas!!!

Beijos doces cristalizantes!!!