maio 30, 2008

Vida Naufragada - Shipwrecked Life

Sou barco à deriva
Sem destino conhecido...
Navego no turbilhão da vida,
Em total solidão...
Sou barco sem rumo,
Perdido nas marés da vida...
Parti de um porto abandonado
Em busca de nada...
Sou barco à deriva
à espera da tua ajuda
Nesta vida naufragada...


[English version]


I'm a drifted boat
With unknown destination...
I navigate in life's vortex
Totally alone...
I'm a boat with no course,
Lost in the tides of life...
I've sailed from an abandoned port
Searching for nothing...
I'm a drifted boat
Waiting for your help
In this shipwrecked life...

22 comentários:

George Townboy disse...

How many can relate to your exquisite words conjuring up the feelings of an ideal impossible to attain?

Sad, but beautiful!

Cati disse...

Lindo... a tristeza consegue mesmo ser muito bela!

Um beijinho!

PS - se quiseres ajuda com o template, apita!

O Guardião disse...

Que o vento sopre, as velas enfunem e os caprichos da natureza te conduzam para paragens mais agradáveis, onde a esperança prevaleça.
Cumps

Sei que existes disse...

Que consigas encontrar o teu rumo. Bonito poema.
Beijocas grandes

adrianeites disse...

neste actual estado de coisas é mto dificil ter um rumo verdadeiramente definido!

bom post!

bom fim de semana

Adoa disse...

Tens um desafio no meu blog, se o aceitares claro!

Beijo

antonio disse...

Ui! Espero que seja apenas um desabafo... quem parte de um porto abandonado, jamais será naufrago.

Carol Barcellos disse...

Carol, Carooooool, estás muito poderosa com as palavras, menina! Cada vez que chego aqui, tuas palavras estão mais intensas! Gostei muito, muito mesmo desse poema. Só quem ama de verdade é que pode entender o pleno significado...

Beijos doces cristalizados, e uma ótima semana!!! :o*

Carol disse...

GEORGE TOWNBOY: I hope you're right, because I really want my words to be truly understood. And if you think describe many people's feelings, they will be understood!

Cati: Grande verdade, amiga! Obrigada pela oferta, vou aproveitar certamente!

GUARDIÃO / SEI QUE EXISTES: Esperemos que sim!

ADRIANEITES: De facto, isto não está fácil!

ADOA: Infelizmente, já respondi a esse desafio, mas outros virão certamente!

ANTÓNIO: Sempre pragmático!

CAROL: Obrigada! ;)) Não imaginas como fico feliz com esse teu elogio.
Quanto ao poema, minha querida, tenho a certeza que ninguém melhor do que tu para o compreender. Beijinhos grandes!

Dalaila disse...

sou barco em marés altas e baixas,
sou barco cargueiro, sou a deriva sou eu, neste barco que deriva de mim na minha deriva

SILÊNCIO CULPADO disse...

Carol

És um barco que navega
és um amor que não sossega
tens em ti um turbilhão
de afectos onde a paixão
te guia e te dá a mão.

Tens o brilho das estrêlas
em noites de lua cheia
sabes desfraldar as velas
e segurar a candeia.

Generosa e sublime
entendes e cresces
e dás a mão
ao vento, à amizade
à solidariedade, ao coração.

Tudo isso és e serás
perante os meus olhos que te lêem
e que vêem procurar o que outros não vêem.

Carol, ouve o trovão
e espera
é teu o mundo
porque barco naufragado e sem rumo, NÃO!

Beijos

Perla disse...

Até poderás andar à deriva.
Quem não anda, por vezes?
Mas sempre acabarás por encontrar o rumo. Esperamos que a ajuda chegue... haverá sempre Alguém por perto!

SILÊNCIO CULPADO disse...

Carol

Por favor vai a este endereço e vê os blogues que foram escolhidos:

http://www.downloadseafins.blogspot.com/search.php?q=pkx&r=0&submit=Procurar


Beijos

lusitano disse...

Mas mesmo nessa vida naufragada, tens um lindo navegar...

O Árabe disse...

Sabes, amiga? Mesmo os barcos à deriva findam por chegar a algum lugar... :) Belo poema, em que pese a tristeza nele contida.

R.G. disse...

Hoje sou eu que te digo...
"Não és a única acredita..."

Beijo Perdido

JOY disse...

Olá Carol

Identifiquei-me com este poema , andava exactamente assim á 12 anos atrás,tenho a certeza que a maré te levará a um Porto Seguro.

Fica bem
Joy

pedro disse...

o sal entranhasse tão profundamente nas nossas veias que as vezes é a certeza do porto seguro que nos enregela os medos e nos dissolve...
amamos no fundo o amor pleno simplesmente porque nos habituamos a amar as tempestades e a não ter medo dos nevoeiros.
para nos o gesto e o corpo são apenas remos do nosso navegar...
a essencia da vida essa é o vento que mora nas nossas velas... e a alma... a profundidade da alma amada essa sim é o nosso maior tesouro.

se precisares de um sopro para impedir que fiques a deriva sabes onde ir...
lá onde ainda moram os pensamentos e a restea do que sou aguardo-te.


beijo grande

nunca desistas senhora nauta...
a maré... o mar ... as aves e as naus todas moram em ti...
na beleza intensa do que escreves, na frontalidade com que te libertas,
na garra com que vives.

força

Arnaldo Reis Trindade disse...

como qualquer outro barco a deriva
se tiveres paciência,força de vontade,perseverança
conseguirá ser levada pelos bons ventos aos mais belos lugares,
ou á apenas um local,
porém o mais belo de todos,
continue a escrever assim e eu continuarei a navegar por tuas palavras.

Parabens.
voltarei...

Cati disse...

Não me esqueci de ti...
Vou tentar mandar mail hoje!

Beijoca

Luís Nunes disse...

Senti a desilusão e a esperança , senti a dor e a busca do amor, o frio e a busca do calor, gostei de te ler

ANNA-LYS disse...

This poetry sounds like lyrics to music, can You write music also?