outubro 01, 2008

Incongruências

Rio sem leito por onde correr
Nuvem ausente de gotículas de chuva
Barco sem capitão ou marinheiro para o manobrar
Dia que desconhece a cor da luz
Noite sem a necessária escuridão

Assim sou eu
Sempre que te ausentas

45 comentários:

jo ra tone disse...

Lindo poema,
Mas... Quão dificil é viver.
assim.
Um beijinho

Carol disse...

Também me parece que sim,JO RA TONE ...

Alcides disse...

Belo poema,

Quando sentimos falta de alguém que amamos, sentimos falta de nós mesmos.

Beijos!
Alcides

antonio - o implume disse...

Para uns a noite esvazia-se, para outros enche-se de escuridão. A noite é um estado de espírito.

joana disse...

Depois vens-me perguntar onde é que está a poetisa! Ora deixa-te de conversas!

Está lindo.

Beijos

Ferreira-Pinto disse...

Mas há sempre um rumo à nossa espera!

Carol disse...

Grande verdade, ALCIDES!

Pois, cada um vive e sente à sua maneira, ANTÓNIO.

Ó JOANA, até me deixas envergonhada... Beijinhos, linda!

Há, sim senhor, maninho!

Blondewithaphd disse...

"Prontos", a tipa perdeu-se outra vez! :)

Carol disse...

Ó, pá, BLONDIE, não há maneira de me darem um GPS! ;)

O Guardião disse...

Minha cara
Eu hoje estou todo destrincado, já ninguém me leva a sério - nem eu próprio - por isso só me lembrei de aconselhar um GPS. Desculpa, mas só agora é que vi que já manifestavas essa necessidade.

Cumps

Carol disse...

Ó GUARDIÃO, isso só mostra que estávamos em sintonia naquele momento!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Uma lição de como em poucas palavras se podem exprimir grandes sentimentos.

Carol disse...

Um elogio desses vindo de si é qualquer coisa, CARLOS... Obrigada!

pedro disse...

o que é a falta...
será que há de facto falta...
tanho para mim que quem ama de forma plena como nos aprendizes de loucos e de poetas amamos não conseguimos perceber o significado da palavra ausencia.
afinal mesmo que a metade de nós nos tenha sido arrancada haverá sempre a memória do cheiro, do carinho e dos afectos, haverá sempre o sonho para tornar a presença do outrem tão real como a própria vida, como esta essencia que derramamos no papel, por não sabermos que a verdadeira poesia se devia escrever pelas paredes.

beijo

pedro disse...

e claro...
haverão sempre novos voos para nos alimentarem a alma e a vida.

pelo menos assim espero

MERECEMOS :-)

Carol disse...

Sim,PEDRO, é verdade que quem ama de forma plena, nunca fica cheio de nada, nunca se deixa invadir pelo vazia porque haverá sempre a memória do que foi e a possibilidade do que poderia ser. E, sim, nós merecemos que surjam novos voos, novos sonhos e esperanças.

Maria disse...

Olá carol. Vim colocar a leitura (muito boa) em dia.
Gostei particularmente desta imagem: "Noite sem a necessária escuridão".
Nota 5!

Cati disse...

Lindo!

(assim como o new look!)

Beijoca!

poetaeusou . . . disse...

*
metamorfose
,
a escuridão
está presente
quando não estás,
porque tu
és a minha luz ...
,
conchinhas,
,
*

Carol Barcellos disse...

Ah, quando vc falou do dia que desconhece a cor da luz, na ausência de um certo alguém, eu me vi...
Amei teu comentário no texto "Sementes" do Walter...

Beijinhos doces cristalizados!!! :o*

Adoa disse...

Carol...
O importante neste caso é como te sentes quando ele regressa!

Ía agora escrever isto quando a Iljana chegou... Foi uma alegria ve-la de novo e só pasou uma hora desde que saiu!

Temos de ver o positivo da coisa!

Beijos!

George Townboy disse...

Love this, Carol. Beautiful.

Break Silence disse...

Carol...
O importante neste caso é como te sentes quando ele regressa!


Não podia estar mais de acordo.
Beijos querida amiga

Sei que existes disse...

Mas que grande amor!
Beijocas grandes

Carol disse...

MARIA, sinceramente acho que não mereço tanto...

Obrigada, CATI. Ainda bem que gostaste!

É isso tudo, POETAEUSOU!

CAROL, quem ama verdadeiramente pensa da mesma forma. Beijinhos, minha linda.

Concordo plenamente, ADOA!

Thank you, GEORGE TOWNBOY.

Também acho que sim, BREAK SILENCE.

Se é, SEI QUE EXISTES!

André Couto disse...

Muito bonito. Gostei.

adrianeites disse...

somos seres imcompletos que precisamos de ser completados..

Carol disse...

A sério, ANDRÉ?! Ainda bem!

Sim, parece que nos falta sempre alguma coisa, ADRIANEITES...

nuvem disse...

A ausência de quem se ama dói...

Mas inspira tanto a alma, não é?...

Beijinhos

Perla disse...

Se nos falta um porto de abrigo somos barco à deriva...
por isso temos que saber manobrar o barco ao encontro do nosso porto seguro.
Beijitos

Dalaila disse...

e rio porque voltas e rio porque estás, e rio porque nunca saiste

Dalaila disse...

e rio porque voltas e rio porque estás, e rio porque nunca saiste

Carol disse...

É mesmo, NUVEM! E tu sabes bem como isso é.

Ora nem mais, PERLA!

Vês como tu sabes, DALAILA! Quem conhece o verdadeiro amor, sabe bem daquilo que estou a falar.

JOY disse...

Olá Carol

Gostei muito do poema.
Que quem é merecedor do teu amor não se ausente por muito tempo.


Fica bem
Joy

[_David_] disse...

`Sentir a falta de alguem que nos completa é do pior...

[_David_] disse...

`Sentir a falta de alguem que nos completa é do pior...

[_David_] disse...

`Sentir a falta de alguem que nos completa é do pior...

Carol disse...

Não,JOY felizmente as ausências desse alguém são sempre curtas!

Carol disse...

Bem, há coisas piores, mas esta, DAVID, também não é fácil.

Serenidade disse...

Concordo contigo,

identifico-me com tuas palavras... na ausencia de...

Serenos sorrisos

O Profeta disse...

Atravesso o céu em sonhos
Três aves do mar, três raios de sol, três punhais
Seguem-me apontados à solidão
Ah este vento que sopra nos brandais


Vem partilhar comigo uma história real


Mágico beijo

Parapeito disse...

assim na ausêcia...como será quando está presente :)

Muito bonito Carol :))

Peter disse...

Um amor imenso...

O Árabe disse...

Impressionantes, realmente, as presenças que a ausência faz nascer em nós. :) Bom fim de semana, belo poema!

Carol disse...

Beijinhos, SERENIDADE.

Irei assim que possível, PROFETA.

Obrigada, PARAPEITO!

É certamente, PETER!

Obrigada, ÁRABE. Bom fim de semana.