janeiro 06, 2009

Espera...

Jaz,


Aqui,

Meu corpo nú.


Espera...


Por mãos que o percorram,
Lábios que o devorem.


Espera...


Por ti


Na imensidão da noite
Na negritude da solidão.



18 comentários:

DANTE disse...

Pssst? Olha , tá na hora de acenderes essa luz! Tá beim?? ;P

Jokas Carol :)

A Gata Christie disse...

Gostei mesmo muito! Parabéns!

A Palavra Mágica disse...

Carol,

As mãos, os lábios e a imensidão da noite deram um tom sereno ao poema. Parece uma espera sóbria. Bela distribuição das palavras na página. Parabéns!

Beijos!
Alcides

Joaninha disse...

Beeeijos

Pedro Barata disse...

Muito fixe o post. Gostei!
Beijinhos

Baraújo disse...

ora aí está... para estes dias frios do novo ano... a melhor forma de os aquecer...

beijo terno

R.G. disse...

Parabéns pelo poema

Beijo perdido

Fa menor disse...

Há esperas que fazem arrepios de frio...
outras de calor.

Beijos

francis disse...

Ena pa´, grande desabafo.

jo ra tone disse...

Mas...
Onde pairam
os que dão vida aos que jazem
Bjo

Metamorfose disse...

Voltei para te desejar um excelente 2009, com tudo o que tens direito!!! Espero ter mais tempo para andar por aqui e continuo a gostar do que leio.

Beijo

Blondewithaphd disse...

Ora bem, a malta continua no experimentalismo. Ok, a gente espera... :)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Voltei.A tempo de dizer que já sentia saudades destas palavras.
Beijos

Amor amor disse...

Carolzinhaaaaaaaaa, que saudade, menina!!! Pois é, nem precisa falar que ando sumida, eu sei. Mas é que estava aproveitando as férias pra colocar umas coisas em ordem, e admito, vegetar nas horas vagas, hahaha!!! Mas estou voltando, estou voltando, me aguarde!

Querida, falar sobre espera é sempre muito atraente pra mim. Eu amei o modo como vc salpicou as palavras na tela, deu um toque a mais, um peso a mais nas palavras. E além disso, o visual por aqui, muda sempre pra melhor, parabéns!

Beijocas doces cristalizadas!!! ;o*

Abobrinha disse...

Detesto esperar: sou muito impaciente. Mas havia um elemento de badalhoquice no poema, por isso gostei!

Adoa disse...

Tenho um desafio para ti num dos meus cantinhos! Se quiseres aceitar, claro!

Beijos!

pedro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
pedro disse...

hum...
o carinho e o afecto escritos como so tu sabes fazer... assim a flor da pele... mais que isso ... a flor do sonho.

das outra dimensão à espera...
em ti, no que escreves as paredes do quarto não são prisões que se encerram sobre nós mas sim portas para o sonho.

no que escreves há maravilha... quase se sente o cheiro da pele, o rubor do toque...
o sabor do sonho.


adorei passar aqui

e já agora ADORO-TE :-)