abril 17, 2009

Destruição

Como um vendaval que passa
E tudo leva à sua passagem
Assim são a tua insegurança,
Os teus cíumes
Quando te toldam a visão,
Quando te levam a apontar o dedo
Sem parares para reflectir...
Como um rio que excede o seu leito
E derruba todas as pontes no seu caminho
Assim é a tua raiva
E os laços que criámos quebram-se
Mais
Uma
Vez...

8 comentários:

A Gata Christie disse...

Estou a ver que,por aqui, as coisas estão como o tempo... Vou sair de mansinho antes que sobre para mim! ;)

Adoa disse...

Acho que faz algum tempinho quenäo passava por aqui...

Bem, deixei-te um doce (mais um!) lá no meu cantinho...

Anima-te Mulher!

A Palavra Mágica disse...

Aqui no Brasil tem uma expressão: "Quando um não quer, dois não brigam". Não sei se serve para a ocasião.

Beijos!
Alcides

Whispers disse...

Ola!
Querida Carol!

Obrigado pelas tuas palavras que me deixaste.palavras como as tuas eh que me fizeram voltar.

Por vezes a vida tras a necessidade de nos afastar ate um tantinho de nos mesmos.

teu poema me fez pensar, pensar em momentos que ja senti na pele

Por vezes a Raiva, o odio e o ciume,mata aquilo que eh de mais belo o ''Amor''.
Dizem que quem ama respeita e nao magoa o coracao do outro, eu acredito que sim.

Um beijo bem grande em teu coracao

Rachel

Sei que existes disse...

Situação delicada...
Beijo grande

jo ra tone disse...

Assim há quem diga
que
não é "viver a vida em plena vida".
Beijo
Um Bom Domingo
Cheio de Sol

Amor amor disse...

Quanto trabalho pra construir um relacionamento, mas de nada adianta se o outro não soube fazer a manutenção, não é mesmo? Se insegurança feminina já é chato, insegurança masculina, então, é sal no suco de laranja. kkkk

Beijinhos doces cristalizados!!! ;o*

Cati disse...

Grande texto, grande look!

Um beijo*