novembro 22, 2007

Posse

Tenho-te no meu corpo,
no meu gosto,
no meu cheiro.

Tenho-te nos meus olhos,
nos meus sonhos,
nos meus gestos.

Tenho-te nos meus sentidos mas,
quando abro os olhos,
nada vejo.

Negro é o espaço à minha volta...
É a solidão que me abraça
e me envolve.

18 comentários:

Tiago R Cardoso disse...

Negro é o momento onde estou, quando vi o que julgava a luz do fundo do túnel é que reparei que era apenas um sinal a indicar que ainda estou a meio.

Sniqper ® disse...

Minha Amiga,

O espaço negro que te rodeia, são momentos, esses que povoam o tempo, quando deixamos que o tempo nos tire tempo para viver.
Abre a porta da tua mente e deixa entrar a luz da vida, vive.

Ana disse...

Ola Amiga!
Gostei muito deste poema.Acho que transcreve sensações que todos vivemos no dia a dia;temos dias bons e dias menos bons.Talvez até nem sejam dias mas sim horas.
Está excelente!Continua!

Fernanda e Poemas disse...

Olá Carol, passei para desejar-te um bom fim de semana.
beijinhos,
Fernandinha

Palavras ao vento disse...

Olá Carol,

Que lindo espaço aqui tens!!

E poeticamente escrevendo... faço- te uma vénia...

Bom fim de semana.

beijinhos

Vieira Calado disse...

Os meus votos para que veja só luz, neste fim de semana.
Deixe lá o negro!...

Um Momento disse...

Momentos...são momentos...
E a Luz te abraçará...
Nada de abandonar a esperança...

Beijo... em Ti
(*)

Vladimir disse...

Como sempre depois da tempestade virá a bonança....poema maravilhoso, acima de tudo muito sentido....

antonio disse...

Vim aqui agradecer-te o teu comentário e gostei do teu poema.

Whispers in night disse...

Ola!
existe sempre algo que nos deixa assim, ter e nao ter....
Adorei teu poema
desejo que tenhas uma semana feliz
beijos mil
whispers

quintarantino disse...

Muito bem... temos poeta na família!

Miss Vader disse...

Olá tia.

Blondewithaphd disse...

A visit for a visit! Nice meeting you too! I had no idea you wrote like this...

Sei que existes disse...

Espero que chegue rapidamente o dia em que consigas ver com os olhos abertos esse sonho que vês com eles fechados...
Beijo grande

Budas disse...

Carol

Obrigado pela visita ao meu blog,gosto do teu blog e prometo voltar.

BUDAS

Anónimo disse...

Abracemos essa solidão, ela é uma âncora segura, que nunca nos faltará, ela nasce de nós. Tudo o resto, o que nos enche os sentidos, é fútil e passageiro.
(Asp)

O Árabe disse...

A solidão nos abraça sempre, quando nos prendemos a alguém que não está conosco... paradoxalmente, é ela a nossa companhia.

Metamorfose disse...

Ao fundo do túnel existe imensa luz, é bem verdade em tudo, até na minha foto. Temos de saber ir iluminando o túnel enquanto o percorremos. Beijinhos