setembro 30, 2007

Vazio

Flutua num espaço que me pertence.
Invade-me os sonhos
nos sonos mais profundos.
Indica-me caminhos que não conheço
e não pretendo percorrer.
Persegue-me. Domina-me
sem que eu o veja ou sinta.
Procura-me. Mostra-se
sem que eu o deseje ou dele necessite.
Vacila. Afasta-se...

- Onde estás, meu amor,
que te não sinto?

9 comentários:

Tó-Zé disse...

linda poesia...
espero que sintas esse teu amor e como tu o esperas sentir..

beijinhu

Sol da meia noite disse...

Melhor não criar ilusões... não esperar nada de ninguém...
Passamos a vida a inventar o sofrimento, acredita.

Beijinhos!

Sei que existes disse...

Hás-de sentir!
Beijinhos grandes

elsa nyny disse...

Lindo...o vazio há-de preencher-se!!

Convido-te a escrever uma carta por Darfur!
http://eu-estou-aki.blogspot.com

beijitos

Rui Caetano disse...

Ao flutuarmos no espaço que nos pertence quer dizer que vamos percorrê-lo sem medo dos obstáculos, mas com a certeza de encontrarmos quem tanto buscamos.

Fernanda e Poemas disse...

Carol, Grata pela tua visita ao meu cantinho. Adorei o teu.
Beijinhos!
Fernandinha

Tiago R Cardoso disse...

Que o procures até o encontrares.

Muito bonita a tua poesia.

Whispers in night disse...

Procura no teu coracao, la o vais encontrar.
Bonito o teu poema, sentido, quem nao tem momentos de dor?! de uma certa solidao.
te deixo beijos mil e desejos de boa semana
Whispers

Carol disse...

Obrigada a todos pelos elogios. Sejam muito bem-vindos os novos visitantes. Espero que regressem. Boa semana e beijinhos para todos.